As Marcas e a Identidade Visual

Compartilhe

As Marcas e a Identidade Visual

Se você está começando um empreendimento agora, ou mesmo se já está no mercado há algum tempo e sente que a sua empresa ainda não emplacou uma identidade, Girafildes, este artigo é para você!

Você segue com o seu bom trabalho diariamente, o serviço ou produto é de qualidade, mas olha em volta e ainda falta alguma coisa. 

Por outro lado, você vê um fundo laranja com um quadrado de arestas suaves em azul e já reconhece o Banco Itaú.

Você sabe porque isso acontece: é uma exposição visual coesa que ocorre nos mais diversos meios de comunicação há muuuito tempo. 

Isso que o Banco Itaú e tantas outras marcas fazem, é o trabalho consistente da famigerada Identidade Visual.

“Certo, então você está comparando o meu recém-aberto empreendimento com o Banco Itaú. Isso é meio injusto!”. Calma, não se trata de comparar! Estou simplesmente exemplificando para mirarmos na direção certa. 

Se você pretende fazer sua empresa crescer, tornar-se reconhecível em meio à concorrência, cativar seu público, se destacar e alavancar seus negócios, pode ter certeza – isso só será possível com uma Identidade Visual que carregue os valores da sua marca!

Continua a leitura que eu vou te explicar tudo direitinho.

Afinal, o que é uma Identidade Visual?

Como o nome sugere, a Identidade Visual é um conjunto de características visuais que são próprias de uma marca, tornando possível individualizá-la, reconhecê-la.

Seu principal objetivo é oferecer recursos visuais para a comunicação de uma empresa ou organização, e isso é feio por meio de:

  • Logo – Nome da empresa estilizado, opcionalmente é composto também por um desenho que a represente.
  • Fontes / Tipografia – A escolha de uma coleção de caracteres tipográficos que estará sempre presente nas peças de comunicação.
  • Paleta de Cores – A escolha de um conjunto de cores principais e harmonizantes que também estarão sempre presentes nas peças de comunicação.
  • Ilustrações – Existem marcas que adotam padrões gráficos, estilos artísticos que as acompanham e ajudam a compor os sentidos. Eles podem ser mais tradicionais, modernos ou até mesmo futuristas.
  • Fotografias – Assim como as ilustrações, a escolha de um estilo e temas fotográficos ajuda muito no direcionamento da comunicação visual. 

Uma vez que a logo estiver pronta, a tipografia escolhida, a paleta de cores definida, os estilos de ilustrações e fotografias traçados, a empresa estará pronta para produzir seus materiais gráficos tanto nos meios digitais como nos meios físicos.

Esse conjunto de informações visuais vai compor boa parte do que pode ser chamado de o “design” da sua empresa. Mas calma lá! É importante saber também que design não é só estética – entenda isso melhor lendo este artigo.

O que são Materiais Gráficos?

Materiais gráficos são toda a produção gráfica que uma empresa demanda, desde cartões de visita até animações em 3D. Todo esse material, quando devidamente orientado por uma Identidade Visual e um Manual de Marca, cumprirão sua função com êxito.

No início, é comum que os empreendedores se preocupem em primeiro lugar com a papelaria básica e a apresentação de suas empresas nas redes sociais. 

  • Cartões de Visita
  • Papel Timbrado
  • Envelopes
  • Pastas
  • Embalagem
  • Assinatura de e-mail
  • Apresentação básica para as Redes Sociais
  • Configuração de layouts para as Redes Sociais
  • Ebooks

Tudo o que fizer sentido para o empreendedor, na verdade. Por exemplo, se o serviço for puramente digital, como os serviços de stream atuais (Spotify, Netflix etc) não haverá necessidade de desenvolver uma embalagem, assim como um cartão de visitas impresso pode ser opcional.

Posteriormente, esse empreendedor sentirá a necessidade de um espaço próprio para a empresa na internet, como uma landing page para receber seus leads, ou um site onde consiga desenvolver melhor os argumentos de venda.

Tudo isso, a seu tempo, é construído de maneira cuidadosa com o norte de uma Identidade Visual e um Manual de Marca.

E o que é esse Manual de Marca?

É aqui que a coisa fica interessante de verdade! Como se já não fosse suficiente que a empresa desenvolvesse todo um DNA visual próprio, é com o Manual de Marca que ela definitivamente dita as regras de quem ela é.

O Manual de Marca é um documento que informa todos os valores da marca – o que ela pensa, como ela se posiciona, com quem ela gosta de falar, e o mais importante: como ela fala

Ela é tradicional, ou ela é descolada? Adulta ou teen? Engraçada ou séria? Todas essas escolhas são feitas para que as suas peças de comunicação atinjam um nível de diálogo satisfatório com o seu público alvo.

Isso é super importante, principalmente na era das redes sociais em que o distanciamento entre as marcas e o público foi praticamente extinto. Hoje em dia, as pessoas esperam respostas rápidas, pessoais, mesmo que seja de uma multinacional.

Outro fato a respeito do Manual de Marca: ele é um documento assegurador de que as regras serão seguidas. Você contrata uma agência de marketing e exige que a linguagem definida no Manual seja seguida. 

E aí não há o que temer – essa é a maneira com que as agências lidam com as marcas de modo geral, e, com esse documento em mãos, a nossa criatividade sempre atua nos pontos certos. É bom pra todo mundo!